sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Propaganda Antiga - Super Ford

Se em pleno século XXI ainda sofremos no quesito estradas, imagine você nos anos 60. Naquela época viajar de trem ainda era mais "fácil" do que hoje e as estradas começavam a serem construídas no governo JK. Independente de haver boas estradas ou não era preciso viajar como sempre foi e será. A grande diferença era qual veículo que você iria utilizar para transpor centenas de quilômetros de estradas mal feitas, em construção, de terra ou até mesmo em picadas que foram abertas pelos próprios caminhoneiros.

A Ford já ciente que logo logo o transporte viário iria dominar o setor não perdeu tempo e investiu forte nessa área do mercado com seus caminhões Ford que foram sucesso de vendas. Já fiz uma viagem dos mesmos 4 mil quilômetros mas em 2013 com outras condições e por outras terras e mesmo assim foi uma aventura. Já em 1963 não era só uma aventura, era uma verdadeira exploração de terras poucas vezes visitadas e de difícil acesso mas os caminhões Ford saindo de São Paulo conseguiram chegar ao Acre! Um feito totalmente digno de nota!


A propagandas dos super caminhões Ford como o F-350 deixa totalmente claro aos interessados em adquirir um novo veículo de transporte que "Ford chega sempre...com ou sem estrada". Até eu fiquei com vontade de ter meu super Ford...


Com bons companheiros, tempo e dinheiro ainda quero me aventuras pelas estradas brasileiras e poder sentir um pouco como é ser um conquistador de estradas! Se você também se aventura em expedições dentro e fora de nosso país, principalmente com algum veículo antigo, não deixe de nos escrever um pouco de suas aventuras.

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Delage Type A 1905

Você por um acaso já viu um carro de mais de 100 anos? E se ele tivesse 109 anos e ainda funcionasse? Não foi atoa que fiz questão de tirar muitas fotos deste francês Delage Type A de 1905 encontrei tanto em uma exposição de veículos antigos como no Museu Roda Roda de Lleida na Espanha.


 O seu motor é monocilíndrico com 9 CV da marca De Dion Bouton com 1059 cc
 O freio, como muitos carros da época, só atua nas rodas traseiras.

 A traseira é bem peculiar neste veículo com seu bagageiro bem distinto 
Em exposição no museu Roda Roda


De forma resumida, a placa informa aos visitantes que a marca foi criada no ano de 1905 e que logo se consagra por seus veículos de sofisticação técnica e acabamento luxuoso, mas sobretudo nos resultados em competição.
Em 1907 a marca ganha o Grand Pix e logo cresceu em tamanho, produção e continuava a ganhar corridas até quando em 1914 veio a 1ª WW e, como todas as fábricas, passaram a produzir produtos destinados a batalha.
Depois da guerra, a marca vai continuar a competir e ganhar corridas mas problemas financeiros fazem com que a empresa seja comprada pela Delahaye em 1935 e esta última desaparece no ano de 53.

domingo, 14 de setembro de 2014

Propaganda Antiga - Não quebre a cabeça!

Como vão os rolamentos de seu carro antigo? Eu mesmo já tive muita dor de cabeça com os rolamentos. Quem dera se tivesse uma empresa dessas para me ajudar...


Borghoff S.A.: "Nós resolvemos já, já, o seu problema de rolamento"

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Restauração do Tenório: Braçadeira do Cabo do Afogador

Voltando a falar sobre os Jeep's, na época que eu comprei o Tenório, ele veio sem afogador e sem nada do sistema. Não foi nada fácil conseguir instalar todas as peças e voltar a funcionar o conjunto.
Para quem mora em cidades frias ou gosta de acordar cedo para dar umas voltas de Jeep, o afogador é um bom auxílio.
Abaixo uma foto do antes. O carburador é o DFV 228 usado em muitos veículos Willys/Ford com motores 6 cilindros e na foto abaixo estava sem o cabo do carburador e com o Eixo da Alavanca da Borboleta Afogadora (43) presa por um arame, como em muitos Jeep's que encontramos hoje em dia.

A primeira tarefa foi retirar esse arame Eixo. Depois é preciso encontrar uma peça fundamental que quase não vemos em nenhum desses carburadores que é a Braçadeira do Cabo do Afogador (41). Essa Braçadeira vai parafusada em uma rosca presente no corpo do carburador e está assinalado na foto abaixo.


As duas fotos abaixo servem para ilustrar como fica o sistema já montado no corpo do carburador.



Uma dica é ao colocar o cabo do afogador, primeiro prenda a proteção preta do cabo na Braçadeira do Cabo do Afogador (41) e depois ajuste o fio que vai por dentro do cabo no Eixo da Alavanca da Borboleta Afogadora (43) mantendo sempre a Borboleta Afogadora do Carburador (42) na posição aberta, pois ela só deve ficar fechada quando o motorista julgar necessário e por pouco tempo.

As duas peças mais difíceis de serem encontradas desse sistema é a Braçadeira do Cabo do Afogador (41)  e a Alavanca do Cabo Afogador (que fica no interior do veículo no painel) pois são bem específicas dos utilitários Willys/Ford como o Jeep, Rural, Pick-up Jeep. Já quanto ao cabo em si pode ser adaptado com um cabo de afogador comum de qualquer outro veículo, importando apenas ter as mesmas dimensões.


Para ficar bem claro quais são as peças deste conjunto, exemplifico com duas páginas do Catálogo de Peças dos Utilitários Willys/Ford dos anos 60/70.


quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Arnold Benz Motor Car e Conventry Rotary Tricycle

Abaixo um automóvel muito distinto do que temos em nossas ruas nos dias de hoje. Na verdade eles mais parecem uma antiga charrete sem cavalos.
Sobre este veículo a placa em inglês dizia:
"Os primeiros carros a gasolina foram desenvolvidos na Alemanha por Karl Benz na década de 1880. Sr. Arnold estava entre os primeiros a importar carros do Benz a Grã-Bretanha, e eram montados a partir de peças dos automóveis Benz sob licença.
Este é o segundo carro construído por Arnold, ele segue o padrão geral de Cabriolés puxada por pônei, mesmo com as grelhas laterais que no passado deram o ar para os cães, mas agora disfarçadas os radiadores de arrefecimento."

Na foto abaixo ao lado do antigo veículo motorizado, um triciclo que também já carrega muitos anos de história, o Conventry Rotary Tricycle.
A descrição informava  aos visitantes:
"Triciclos tornaram-se populares na década de 1880, em parte devido às mulheres que buscam a liberdade e a saúde das viagens independentes. Os vestidos das mulheres mais convencionais impediu o andar de bicicleta. Muitos padrões incomuns de triciclo estavam disponíveis até o design estabilizado sobre 1887, no estilo agora convencional com pequena frente guiou roda e grandes rodas traseiras."

Até mesmo para o poster na parede por traz dos dois veículos havia uma informação:
"Este cartaz está anunciando carros Gardner-Serpollet franceses, que foram movidos por motores a vapor."

Fotos do acervo do National Museum of Scotland em Edimburgo, Escócia.